Caminhando por uma estrada enlameada



 

Chovia torrencialmente e dois jovens monges iam calmamente a caminhar numa estrada enlameada, porém mesmo com a chuva torrencial que se fazia sentir tal não os impedia de ir conversando alegremente.

 

Tanzan e Ekido eram os seus nomes.

 

 

A cada passo que davam parecia que chovia mais.

A certa altura avistaram ao longe uma jovem e bela rapariga que estava parada a olhar para a outra margem da estrada, Tanzan curioso perguntou-lhe:

"- Porque não atravessas a estrada?", ao que a rapariga respondeu:

"- A estrada está toda enlameada, não quero estragar o kimono de seda que trago vestido".

 

Tanzan de imeditado ofereceu-se para a transportar para outra margem, se assim ela o permitisse, pois tal aconteceu, o jovem monge levou-a nos braços, permitindo assim que o kimono ficasse intacto. Ela agradeceu e os dois monges continuaram a caminhada até ao templo onde iam pernoitar.

 

 

Porém depois desta situação, Ekido não voltou a falar, percorreu o restante caminho que os separava do templo, sem soletrar sequer uma singela sílaba. Tanzan estranhou mas nada disse.

 

 

Depois de terem chegado ao templo, pouco antes de se irem deitar, Ekido perguntou a Tanzan:

"- Porque pegaste na jovem e bela moça que vimos na estrada? Nós os monges não deveremos ficar longe das mulheres? Não é perigoso especialmente quando são tão bonitas e atraentes?", ao que Tanzan retorquiu:

"- Eu deixei a jovem moça no outro lado da estrada, mas e tu? Ainda a trazes contigo?"

 



Subscrever Feed Subscrever E-mail



/

0 comments: