O Mestre e o bolo



 

Um velho monge Zen estava no seu leito da morte. Tinha chegado o seu último dia e ele declarou que nessa noite deixaria de existir.

 

Por isso, os seus seguidores, discípulos e amigos começaram a aparecer para prestar uma última homenagem ao Mestre. Havia muita gente que gostava dele e iam chegando aos poucos, inclusive pessoas de muito longe.

 

Um dos seus velhos discípulos quando ouvir dizer que o Mestre estava a morrer, correu para o mercado e alguém lhe perguntou:
"- O Mestre está a morrer e tu vais ao mercado?", o velho discípulo respondeu: "- Eu sei que o Mestre gosta de um determinado tipo de bolo, por isso, vou comprar-lhe um."

 

Assim que conseguiu comprar o bolo o discípulo voltou à cabana onde estava o Mestre.

 

Estavam todos preocupados, era como se o Mestre estivesse à espera de alguém. Abria os olhos, olhava e voltava a fechá-los.

 

Quando o discípulo chegou, disse-lhe:
"- Óptimo, sempre conseguiste. Onde está o bolo?"
O discípulo mostrou-lhe o bolo e ficou contente por o Mestre ter perguntado por ele.

 

Moribundo, o Mestre pegou no bolo... porém a sua mão não estava a tremer. Ele era muito velho, mas a mão não lhe tremia. Alguém perguntou-lhe:
"- És tão velho e estás prestes a morrer. Em breve, darás o último suspiro, mas a tua mão não treme, porquê?"
O Mestre disse:
"- Nunca tremo, porque não sinto medo. O meu corpo envelheceu, mas eu continuo jovem e continuarei jovem mesmo quando o corpo partir".

 

Depois deu uma dentada no bolo e começou a mastiga-lo, até que alguém lhe perguntou:
"- Qual é a tua última mensagem Mestre? Em breve vais-nos deixar, como queres que te recordemos?"
O Mestre sorriu e simplesmente respondeu:"
"Ah, este bolo é delicioso".

 



Subscrever Feed Subscrever E-mail



/

0 comments: