O morango



 

Ao atravessar um campo, um homem deu de caras com um tigre. Como seria de esperar depois de tal avistamento desatou a correr, mas o tigre perseguiu-o.

 

O homem chegou a um precipício e teve de optar, ficar ali e ser devorado pelo tigre ou saltar, ele optou pela 2ª opção.

Saltou no vazio, porém teve a sorte de, no inicio da queda, se agarrar à raiz de uma velha videira e ficou ali pendurado, mas com o tigre sempre a cheirá-lo na ânsia de lhe conseguir espetar os dentes.


Cheio de medo, o homem olhou para baixo e avistou outro tigre que esperava pacientemente, que ele caísse, para iniciar o festim.


Naquela altura só mesmo a videira o poderia salvar até que os felinos se decidissem a ir embora. Quanto nada poderia estar pior, eis que aparecem 2 ratos (um branco e outro preto) e começam a roer a videira.


Nesse preciso momento o homem (que lutava pela vida e estava unicamente dependente da variável sorte) reparou que mesmo ao lado da videira estava um morango de aparência apetitosa.


Agarrando-se à videira só com uma mão, esticou a outra e colheu o morango e levou-o à boca, exclamando de seguida:

 

"- Nunca um morango me soube tão bem!"

 



Subscrever Feed Subscrever E-mail



/

0 comments: